Tag Archives: ficção científica

vídeo

Hyper-reality – a chilling vision from a not so far future

Some future predictions are so dauntingly accurate that give us the chills. This is the case of Hyper-Reality, a short that presents a provocative and kaleidoscopic new vision of the future, where physical and virtual realities are the same, as the city is saturated in media, want it or not.

If you are interested in supporting the project, sponsoring the next work or would like to find out more, please send a hello to [email protected]

by Keiichi Matsuda | km.cx

more at hyper-reality.co

cinema

Uncanny Valley explora o lado sombrio da realidade virtual

Uncanny Valley

O curta Uncanny Valley é uma história que explora a distopia que a realidade virtual pode trazer para a nossa sociedade. Intercalando uma narrativa convencional com trechos ao estilo de documentário, somos apresentados a um futuro onde os junkies são viciados em jogos de tiro, e as consequências da dependência da tecnologia de VR. Depois de assistir o curta, fica a lembrança de que não existe almoço gratuito.

O filme foi dirigido por Frederico Heller. Na mesma onda de Distrito 9, que começou como um curta e virou um longa, esse filme está em fase de script para ir para os cinemas.

Via The Verge

literatura

O Oduji

O Oduji

View story at Medium.com

Abriu a pequena caixa. Lá estava ele, encolhido, numa posição fetal, a pele rosa e translúcida mostrando órgãos pulsando suavemente, uma peristalse quase imperceptível. Seus olhos estavam fechados, ele ainda estava sob efeito de tranquilizantes. Finas veias cobriam suas pálpebras semitransparentes, que cobriam gigantescos olhos negros. Ele respirava tranquilamente e moveu a cabeça na direção dela, sonolento. Ela fechou a caixa, suas mãos tremiam, suor brotava frio na sua palma ao perceber que não tinha mais como desistir. Era um contrabando que atravessou oito sistemas estelares até chegar em suas mãos. Pegou o trem central, rumo a uma clínica de modificação clandestina e fez o implante.

continue lendo O Oduji

ciência, cinema, tech

O Dia de Volta para o Futuro vem aí

O Dia de Volta para o Futuro vem aí

Só pra lembrar, que dia 21 de outubro de 2015 está chegando, e é a data que Marty McFly chega de 1985 a bordo da máquina do tempo/DeLorean do Doctor Brown. Sim, o Dia de Volta para o Futuro vem aí. O diretor Robert Zemeckis já havia dito que o futurismo do filme era mais calcado no humor do que numa ficção mais realista. Mas ele acabou acertando um monte de coisas.

Das previsões zoadas do futuro para o dia de hoje, o que nós temos hoje que o filme previu? TVs de tela plana, o crescimento do uso de câmeras em tudo quanto é canto, o início da supremacia dos países asiáticos na economia americana, a possibilidade de se assistir seis canais de TV ao mesmo tempo, vídeo conferências, popularização das cirurgias plásticas, jogos de video game que não precisam do uso das mãos ou de controles (como Kinect e Wii).

O que ficou na linha divisória? Carros voadores são possíveis, mas caros, sem contar que inseguros e potencialmente mortais. O Hoverboard é uma impossibilidade física, mas que tem geringonças que imitam seu comportamento, além de diversos boatos e rumores que se aproveitam do desejo das pessoas por algo similar. O tênis que Marty usava foi recriado visualmente pela Nike, mas sem a amarração inteligente. A Pepsi fez uma edição especial, Pepsi Perfect, para comemorar a data.

animação, cinema, vídeo

Sumer – uma cidade no limiar do fim do mundo

Sumer

O curta animado de ficção científica Sumer, dirigido por Alvaro García, retrata um mundo depois do fim, com uma cidade sobrevivendo por um fio numa terra devastada. A sinopse é bem detalhada:

Por razões desconhecidas, a ionosfera da Terra enfraqueceu dramaticamente no decorrer do último século, resultando no colapso de todo o ecossistema do planeta. A Terra se tornou um lugar incrivelmente hostil e inabitável, e sem nenhum escudo de proteção, à mercê de meteoros.

Toda a vida animal e vegetal pereceu décadas atrás. Tudo que resta é um pequeno grupo de humanos que tentam resistir à hostilidade e dificuldade do ambiente externo de Sumer, a última cidade colméia do mundo, que foi especificamente desenvolvida para manter sua população viva por meio de sistemas de fornecimento de oxigênio.

A mídia manipula a informação disponível de forma a manter as pessoas obcecadas com a possibilidade de um êxodo espacial, abandonando qualquer esperança de prosperar na terra.

Um jovem garoto, chamado hermes, vive só em um compartimento localizado nas proximidades do muro que delimita a cidade, uma área que é fortemente guardada pela GSS (Guardas de Segurança de Sumer).

Enquanto observa o deserto do teto de um prédio, Hermes subitamente vê algo que chama sua atenção…

via GeekTyrant

cinema

Perdido em Marte tem os dados checados pela NASA

Perdido em Marte

A NASA faz uma lista de informações científicas do filme Perdido em Marte, e mostra como a realidade se alinha com a ficção científica. O resultado é que o filme é bastante realista.

No perfil do Tumblr da agência, eles fazem um post exibindo fotos de edifícios, missões e tecnologias, e comparando-os com suas contrapartes no filme. Seguindo à risca a ciência sólida do filme, não é de se surpreender que as similaridades entre fatos e ficção são fortes.

Perdido em Marte foi dirigido por Ridley Scott, nosso diretor preferido de ficção científica, e é estrelado por Matt Damon.

design

Os belos GIFs animados de Kirokaze

O artista peruano Gerardo Quiroz, também conhecido como Kirokaze, criou uma série de lindas ilustrações animadas de inspiração cyberpunk e de fantasia. Os trabalhos são herdeiros visuais de obras como Blade Runner, Akira, 13 Assasinos, Red Cliff, Matrix, Kingdom of Heaven, Gundam e Macross, todos renderizados em pixel art.

Você pode ver outros trabalhos de Kirokaze em sua galeria no Deviantart ou no seu Twitter.

Via Ufunk.net

cinema

Burnt Grass – um fenômeno inexplicável no quintal de casa

Burnt Grass

No curta de ficção científica Burnt Grass, o casal Jack e Sally se depara com o aparecimento de um buraco em seu quintal que duplica todo organismo que é colocado nele. Com isso é possível  ter um exército de cachorrinhos, uma montanha de comida, flores por toda a casa… As possibilidades são inimagináveis, assim como as consequências. Rapidamente Sally começa a experimentar com o fenômeno bizarro, enquanto Jack tem que lidar com os frutos da obsessão da companheira.

O filme, escrito e dirigido pelo cineasta e publicitário Ray Wong, foi lançado em 2014 e é uma produção canadense.

Via Gizmodo

literatura

Os Lumnos

Os Lumnos

View story at Medium.com

Stephens se foi há quatro dias. Diante das circunstâncias, isso foi fortuito. Artan sabia, mas não queria admitir. As reservas durariam mais assim. Conferiu as baterias de salto da nave. Ainda estavam nos níveis mínimos, e Artan já havia feito os cálculos. As baterias demorariam cerca de um mês para repor energia suficiente para um salto. Havia água suficiente, e, agora com Stephens morto, comida e oxigênio. Mas ele não duraria mais um dia. Se ele não tivesse se desesperado, talvez a nave pudesse saltar a tempo de levá-los para um sistema habitado, onde poderiam ter cuidados médicos. Mas quando Stephens começou a tossir sangue, ele usou boa parte da energia para enviar uma mensagem de socorro pelo ansível, na esperança de alguém na ultrópole recebê-la e investigar.

continue lendo Os Lumnos

Pin It on Pinterest